Esclarecimentos sobre a modalidade

Estamos experimentando um grande aumento no número de atletas estreantes em provas no estilo Randonneur e cai bem algumas explicações para os que estão chegando agora, sobre como funcionam estas provas. E até para relembrar aos amigos veteranos.

1) Audax/Brevet Randonneur não é competição.
Todos os brevets organizados pelo Randoneiro Cristal prezam, como todos dessa categoria, pela cooperação. Nada contra a competição, mas os atletas não podem encarar que o evento será uma prova de ciclismo convencional. Um exemplo é que na divulgação dos resultados dos brevets não colocamos os atletas em ordem de chegada e nem divulgamos os tempos, justamente para evitar confusão com uma competição. Os atletas que quiserem ter seus tempos podem anotar ou fotografar seu passaporte na chegada de cada brevet. Pode ainda aguardar a devolução deste com o selo de homologação do resultado, como veremos mais abaixo.

2) Audax/Brevet Randonneur é similar ao cicloturismo.
Portanto não há fechamento de ruas ou estradas para os eventos. E seria impossível fechar dezenas de quilômetros de vias, já que os atletas seguem em ritmos muito diferentes e é comum que haja uma distância de 50 km ou mais entre os primeiros e os últimos.

3) Audax/Brevet Randonneur é feito com planilha de rota.
A planilha de rota é a única forma de se orientar em um brevet. Não fazemos sinalização de trajeto seja nas ruas ou nas estradas. Primeiro que seria necessária uma autorização bem burocrática, segundo que a sinalização de 200, 300, 400km de vias não vai resistir ao vandalismo dos passantes o que  poderia gerar um grande número de atletas perdidos. Mas muitos que ignoraram as indicações dela se perderam mais de uma vez e até perderam PCs. Portanto, mais que preparo físico é preciso concentração na orientação.

4) Segurança na via é prioridade e responsabilidade dos atletas.
A utilização dos equipamentos obrigatórios de segurança pelos atletas (capacete, pisca traseiro, farol dianteiro e colete refletivo, que seja bom e que cubra até a mochila que alguns usam) justifica-se por serem os equipamentos que vão reduzir muito o risco de colisões e proteger em caso de queda. No link acima há também uma lista de equipamentos sugeridos com finalidade de segurança complementar. Além disso cada atleta participante tem um seguro contra acidentes pessoais contratado pela organização da prova que também deixa a secretaria de saúde e os bombeiros de sobreaviso quanto à presença de ciclistas em evento esportivo nas vias.

5) O passaporte com selo é o maior prêmio. 
É uma premiação não convencional e muitos veteranos ainda não a valorizam. No BRM o resultado dos que completam é homologado no Audax Club Parisien, que nos envia um selo auto-adesivo com o número da homologação deste resultado. Quando o recebemos, colamos nos passaportes em uma área reservada para isso e agendamos a devolução desse passaporte. Aquele simples pedaço de papel para a ser o certificado de conclusão de um evento internacional, de uma das mais antigas e tradicionais modalidades de ciclismo do mundo. É para emoldurar e colocar na sala em local de destaque. Cuide do seu passaporte e vá buscá-lo quando agendarmos a devolução.

6) O grande objetivo
É terminar as provas até o limite de tempo de cada uma, passando por todos os Postos de Controle (PC) entre o horário de abertura e fechamento de cada um. Para calcular esse horário considera-se uma velocidade média máxima (variável) e uma mínima (sempre 15 km/h). Assim sendo o Brevet 200 termina em 13hs 30m, o 300 em 20 hs, o 400 em 27 hs e o 600 em 40 hs. (saiba mais)

Fonte:  Adaptado de  Clube Audax Rio.