Estilo Randonneur

Randonneur  (Rãn do nêr)é uma palavra francesa, que caracteriza a modalidade de Ciclismo de Longa Distância não competitivo, que segue as regras definidas pelo Audax Club Parisien e  definida no regulamento BRM (Brevets Randonneurs Mondiaux). Utilizamos o neologismo Randoneiro para definir o praticante desta modalidade, chamada comumente de AUDAX, entre os ciclistas brasileiros.

Trata-se de um tipo de ciclismo não competitivo de longas distâncias com limites de tempo pré-definidos. Portanto é melhor descrito como uma cicloviagem rápida ou um enduro e que possui Postos de Controle (PCs) ao longo do percurso responsáveis por fiscalizar a passagem do randoneiro pela rota previamente definida e dentro dos limites de tempo estipulado para a distância. 

Quando os participantes concluem a rota dentro dos prazos estabelecidos, eles recebem um certificado numerado (Brevet em Francês) dai estes pedais serem comumente chamados de “Brevets”. Ciclistas com ritmos diferentes participam dos brevets, as vezes atletas de elite procurando um treino longo, outros ciclistas amadores, cicloturistas e qualquer um que procure fazer novas amizades e goste de desafios de autosuperação.

 Os brevets são eventos não competitivos, onde cada um o faz com o orgulho pessoal de completar a distância dentro do tempo permitido, as vezes orgulho de chegar mais rápido, mas não há orgulho algum em vencer os outros na linha de chegada. Amizade e camaradagem são a grande proposta dos randoneiros. O esporte começou em 1897 na Itália, sendo trazido para França em 1904. Naqueles tempos, cicloturistas andavam em pelotão para sobreviverem às longas distâncias e muitos ainda o fazem hoje em dia. Porém nada impede de andarem sozinhos, cada um no seu ritmo, sempre que desejarem – o ritmo livre, ou Allure Libré  é uma opção da modalidade (diferente do audax original que é realizado em pelotão e com média de 22,5 km/h  – AUDAX / UAF ). 

Tabela Padrão –  Tempos limites dos Randonneés
Distância Tempo Classificatório
200 km 13:30 h Nenhum
300 km 20 h Brevet 200km
400 km 27 h Brevet 300km
600 km 40 h Brevet 400km
1000 km 75 h Brevet 600km
1200 km 90 h Brevet 600km

 

Qualquer estilo de bike ou máquina propulsionada por tração exclusivamente humana é permitida. Apesar de serem eventos com tempos a cumprir, os Brevets definitivamente não são corridas; estão mais para um teste de resistência física, emocional e determinação individual. Diferente de uma corrida que o resultado é publicado por ordem de chegada os resultados dos brevets são publicados geralmente em ordem alfabética. Todos que o terminam dentro dos tempos limite são considerados campeões e recebem a mesma recompensa – uma simpática medalha.

Para o randoneiro a auto-suficiência é fundamental objetivo. O Randoneiro deve ser capaz de seguir uma carta de rota, ler um mapa, planejar sua alimentação, consertar sua bike, etc. Os regulamentos proíbem qualquer apoio durante o caminho, isto é, o apoio só pode ser realizado, nos PCs, mas nunca entre estes. A maioria dos randoneiros, contudo, não utilizam nenhum tipo de apoio ou suporte. Vivem “do caminho”, usando restaurantes e lanchonetes nas rodovias, onde se abastecem de bebidas e comida. Durante a noite utilizam faróis e lanternas para iluminar o caminho; não existem carros batedores para iluminar o caminho como numa competição. Para o Randoneiro, dizer “eu fiz sozinho” é a essência do esporte. Os ciclistas envolvem-se num ritual de camaradagem durante estes eventos, parceiros tal qual comandos de guerra – talvez a essência seria melhor explicada como “fizemos sozinhos“.

Qual é a duração destes eventos Randoneiros?

Para eventos de até 600 km, o ritmo mínimo para concluí-los com sucesso é de 15 km/h (média global). Eventos maiores permitem um ritmo ligeiramente menor. A maior parte dos randoneiros participam dos eventos de 200 e 300 pois são tipicamente brevets de um dia só. Os brevets maiores exigem mais em termos de equipamento de iluminação e treinamento. Quando um Randoneiro completa os quatro eventos, até os 600 kms dentro de um mesmo ano do calendário, consegue o título de Super Randonneur e faz jus a uma medalha vinda da França (com custos pagos por este). Temos também eventos pedalados na Páscoa, que duram 24 horas e com um mínimo de 360 kms – os Flèches.

Em Paris, 26 de agosto de 1983, um dia após a décima Paris-Brest-Paris, o Audax Clube Parisien e representantes dos países quer organizam os BRMs (200, 300,400 e 600 kms necessário qualificar-se para Paris-Brest-Paris), foi fundado uma organização global  chamada Les Randonneurs Mondiaux (LRM), cujo objetivo é promover, incentivar e aplaudir os ciclistas que desejam testar seus limites pessoais, combinando as exigências de um passeio de longa distância, com o prazer de ciclismo.  A LRM é responsável por homologar os Ultra-Brevets internacionais com distâncias que vão de 1200 a 4000 kms. O limite de tempo de um evento de 1200 kms é de 90 horas, sendo o mais famoso destes brevets o Paris-Brest-Paris ( PBP ), realizado entre as cidades de Paris e Brest na França, e que foi organizado pela primeira vez em 1981. Atualmente o PBP é realizado de quatro em quatro anos, sendo o próximo em 2019. 

Como me preparar para os Brevets?

Treine, participe de pedaladas, aprenda a pedalar não importando o tempo frio, chuvoso ou muito quente. Aprenda a contabilizar horas e não somente kilometragem. Vá aumentando de forma gradual e sistemática a duração do seu longão do final de semana, esta  é a maneira inteligente de construir resistência, aprenda por exemplo a pedalar direto sem parar por 4 horas seguidas ou com apenas pequenas pausas e vá aumentado 30 minutos por semana. Resista a tentação de aumentar rapidamente a kilometragem para evitar lesões. Depois de umas 8 a 10 semanas de treino você estará pronto para pedalar seu primeiro brevet 200 kms em menos de 12 horas. Depois de acostumar-se com as subidas e já tiver feito alguns outros 200, por que não partir para os 300? A maioria dos randoneiros usa o brevet menor como treino para os maiores.

O que esperar do Randoneiro?

Gozar de plena saúde física e mental e apto a realizar atividade física de longa duração; estar ciente dos riscos que envolvem o ciclismo, utilizar equipamentos de segurança – lanterna, faróis, coletes reflexivos e capacete, conhecimento das normas básicas de segurança no trânsito, zelar pela correta manutenção de sua bicicleta, conhecimento de sua mecânica básica e reparos. 

Cultivar o espírito de camaradagem, ser cordial, altruísta, fraterno e prestativo com o grupo, voluntários e terceiros que estiverem participando ou não de um pedal, ser auto-suficiente em sua hidratação, alimentação e orientação durante todo o pedal.