Regulamentos

Regulamento do Clube

ATUALIZADO EM: 14/10/2015

1- Da Organização

 1a – Os Brevets 200, 300, 400 e 600 são eventos de longa distância, resistência e superação pessoal, organizados pelo Clube de Ciclismo Randoneiro Cristal de Cristalina GO. Os Brevets além das normas aqui discriminadas seguirão também, o regulamento do Randonneurs Brasil e do Audax Club Parisien (ACP)- disponíveis em www.randonneursbrasil.org.br , assim como o Código Brasileiro de Trânsito.

2 – Responsabilidades da organização

2.1 – A Organização é responsável por fazer cumprir as datas divulgadas no calendário ACP e justificar alterações quando cabíveis. Podendo o organizador suspender o evento por questões de segurança pública, meteorológicas ou motivos de força maior, sem aviso prévio aos participantes.

2.2 – Em caso de cancelamento da prova por motivos de força maior (morte, acidente, catástrofes nacionais, etc), os organizadores estarão isentos de qualquer tipo de indenização ou reembolso que não seja a devolução da taxa de inscrição.

2.3 – Por se tratar de um evento de auto-suficiência, não haverá reembolso, por parte da organização, de nenhum valor correspondente a equipamentos e/ou acessórios utilizados pelos participantes. Independente de qual for o motivo, nem por qualquer extravio de materiais ou prejuízo que por ventura os participantes venham a sofrer durante a participação nos eventos.

2.4 – A Organização é responsável pela escolha e divulgação dos trajetos onde serão realizados os Brevets agendados. Para cálculo das distâncias dos brevets serão utilizados equipamento GPS da organização, ou na falta deste o site ou software Maps Google, havendo discordância destas distâncias com equipamentos dos participantes estes não serão considerados.

2.5 – Cada participante é responsável e conhecedor de suas condições e aptidões físicas. Mesmo assim, a organização recomenda a todos os participantes da prova à realização de uma rigorosa e completa avaliação médica.

3 – Participação

3.1 – Poderão participar da prova pessoas de ambos os sexos, regularmente inscritos de acordo com o presente regulamento.

3.2 – Participantes menores, entre 16 e 18 anos, só poderão participar da prova após autorização expressa dos pais ou responsável legal, por meio de termo de responsabilidade, com firma reconhecida em cartório do pai e da mãe ou de um responsável legalmente apresentado.  

3.3 – Menores de 16 anos, só poderão participar se acompanhados por um parente de primeiro grau, regularmente inscrito no Brevet. Assim como deverão também apresentar autorização por escrito do pai ou responsável legal. 

3.4 – É recomendável ao participante participar do Congresso técnico, no horário e local divulgados pela Organização na programação do Evento. Reunião onde serão dadas todas as instruções e detalhes sobre o evento. O participante que não comparecer ao Briefing não poderá realizar qualquer reclamação ou alegação de falta de informação do evento, as quais serão transmitida naquela oportunidade.  

3.5 – Após a efetivação das inscrições, a organização do evento não reembolsará o valor da inscrição aos participantes que desistirem de participar, sendo este valor agregado ao fundo de reserva do Clube de Ciclismo Randoneiro Cristal, para cobrir despesas referentes as provas ou aquisição de bens para o Clube.

3.6 – Em caso de desistência ou desclassificação do ciclista participante, o mesmo deverá entregar para a Organização seu Passaporte.

3.7 – Quando solicitado apresentar a Organização, o número de homologação da etapa anterior aquela que está inscrito. Fazendo respeitar assim o Regulamento Internacional da ACP

3.8 – Seguindo as diretrizes do Randonneurs Brasil, não será necessário o pré requisito de conclusão do BRM anterior para a realização de um BRM subsequente, porém o Randoneiro Cristal pensando na segurança de todos adotará o seguinte critério:

3.8.1 – Requisito para participar do BRM 300 será a apresentação da homologação de uma prova de BRM 200 no ano corrente ou no ano anterior;

3.8.2 – Requisito para participar do BRM 400 será a apresentação da homologação de uma prova de BRM 300 no ano corrente ou no ano anterior;

3.8.3 – Requisito para participar do BRM 600 será a apresentação da homologação de uma prova de BRM 400 no ano corrente ou no ano anterior;

3.8.4 – Requisito para participar do BRM 1000 será ter alcançado no ano corrente ou no ano anterior a distinção Super Randonneur ou a homologação em um BRM 1000 ou de um LRM também no ano corrente ou anterior;

Obs: Os casos omissos referentes ao item 3.8 e demais sub itens correlatos serão avaliados pela Organização do Randoneiro Cristal.

4- Segurança

4.1 – Equipamentos obrigatórios:

  • Capacete de ciclismo, devidamente ajustado e afivelado;
  • Colete com refletivo, com características divulgadas em artigo no site e no facebook do Randoneiro Cristal; DURANTE TODO O PERCURSO, MESMO DURANTE O DIA.
  • Luz traseira na cor vermelha;
  • Farol dianteiro;
  • Luvas;
  • Cobertor ou manta térmica de emergência, será obrigatório nas provas realizadas em períodos frios ou nas provas que incluam períodos nas madrugadas.

4.2 – A falta de qualquer dos equipamentos relacionados no item 4.1, impede a participação ou desclassifica o ciclista da prova.

 4.3 – Equipamentos recomendados:

  • Aparelho telefônico celular, funcionando e com bateria carregada (deverá ser o número indicado no momento da inscrição da prova).
  • Óculos com duas lentes (diurna e noturna);
  • Cobertor ou manta térmica de emergência;
  • Capa de chuva e ou corta vento;
  • Protetor solar;
  • Ferramentas compatíveis com seu equipamento;
  • Câmara reserva e remendos;
  • Bomba de ar;

5 – Para o bom funcionamento do Brevet

5.1 – O inscrito pode trocar de equipamentos durante o Brevet, nos seguintes casos:

  • No Posto de Controle, sendo que a placa de identificação deve ser instalada no novo equipamento. Indispensável comunicar a Organização ou voluntários.
  • O ciclista também pode comprar ou tomar emprestado de algum morador uma bicicleta durante o trajeto, desde que a mesma não seja entregue com serviços de tele-entrega ou semelhantes na estrada. Caso isso ocorra a Organização deve ser comunicada imediatamente, para avaliar a situação e autorizando ou não a continuidade do inscrito no Brevet.
  • O ciclista pode ir até a sua casa se assim o desejar e trocar de bicicleta, desde que faça isso pedalando, se pegar um taxi, é apoio externo. Deve comunicar a Organização imediatamente de sua intenção.

5.2 – Em caso de desistência, o participante deverá comunicar imediatamente a Organização para:

  • Solicitar resgate, informando o ponto do trajeto que se encontra;
  • Comunicar que está pegando carona com veículo motorizado e deixando o evento.

5.3 – A Organização poderá resgatar participantes que desistem ou quebram seu equipamento durante o Brevet. Realizará tal operação de acordo com a disponibilidade de pessoas e veículos nas seguintes condições:

  • Sem limitação de tempo para a ocorrência do resgate.
  • Quando ocorrer, o resgatado será recolhido e encaminhado ao local de largada de forma que não atrapalhe o andamento da prova.
  • Os ciclistas que abandonarem a prova e necessitarem de resgate deverão esperar o andamento e término do Brevet, uma vez que a prioridade da Organização é fiscalizar o andamento e condições da prova.

5.4 – Somente serão permitidos carros de apoio, durante o Brevet, se devidamente orientados , autorizados e identificados pela Organização.

6 – Casos de desclassificação

6.1 – Perder seu passaporte. A Organização poderá se assim achar necessário, fornecer um novo, mas apenas se existirem registros prévios da passagem do ciclistas pelos PCs.

6.2 – Receber apoio de fora da prova em qualquer ponto do percurso que não seja os indicados pela Organização (Postos de Controle ou Pontos de Apoio). Para esta Organização caracterizam-se apoio externo os seguintes casos:

  • Ser acompanhado durante todo o percurso ou parte, por carro de apoio.
  • Receber qualquer tipo de objeto ou alimentos de pessoas que não estão formalmente no evento.
  • Andar no Vácuo e ou em pelotões com outros ciclistas que não estejam devidamente inscritos para participar do evento.
  • Pegar qualquer tipo de carona em veículo motorizado.

6.3 – Utilizar a pista de rolamento para pedalar quando existir ciclofaixa ou acostamento em condições, desrespeitando assim o artigo 58 do Código Nacional de Transito Brasileiro. Na primeira vez será advertido e na segunda desclassificado.

Art. 58. Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

6.4 – O participante poderá ser desclassificado pela Organização, se jogar lixo em local indevido durante todo o trajeto.

6.5 – Faltar com respeito com os organizadores e demais ciclistas participantes ou faltar com a verdade quando questionado por organizadores, voluntários ou autoridades sobre qualquer informação.

6.6– Colocar em risco a vida de qualquer outro participante ou cidadão que esteja utilizando a via pública.

6.7 – Pegar vácuo ou agarrar-se em qualquer veículo automotor, carroça etc.

7 – Apelação

Conforme o Artigo XVIII do Regulamento Internacional, qualquer queixa, ou reclamação, por qualquer motivo que seja, deverá sem expressa por escrito e enviado nas 48 horas seguintes a prova ao organizador que a examinara e a transmitirá com seus avisos ao responsável ACP (França) ou ao representante ACP (fora da França) para exame antes da decisão.

 Todo participante ao se inscrever está automaticamente concordando com todas as regras acima. Casos omissos nesse Regulamento serão avaliados por esta Organização, que usará o Regulamento Internacional e o bom senso para tomar uma decisão final.

8 – Atualização e alterações

Todo ou parte deste regulamento pode ser alterado sem comunicação prévia, para garantir melhor condição de segurança, melhor andamento da prova ou ainda ao critério da organização em até 72 horas antes do início do Brevet, devendo o participante fazer uma leitura prévia do mesmo.

Regulamento dos Brevets Randonneurs Mondiaux (BRM) de 200 km a 1.000 km

Artigo 1: Somente o Audax Club Parisien pode realizar a homologação em todo mundo. Cada brevet realizado depois de 1921 é registrado sob um numero de homologação atribuído por ordem cronológica de recebimento.

Artigo 2: estes brevets são abertos a todo randonneur* membro ou não de um clube, de uma sociedade ou de uma federação qualquer e coberto por uma apólice de seguro. Os menores são aceitos com a condição que apresentem uma autorização do responsável que isente a responsabilidade do Audax Club Parisien e das sociedades organizadoras, um atestado médico de aptidão física com menos de 6 meses deve ser apresentado. As informações e regulamento específico de cada organização devem ser consultados no momento da inscrição de cada brevet.

Todos os veículos são admitidas com a condição que sejam movidos somente com o uso da força muscular.

Artigo 3: Para efetuar um brevet*, cada randonneur deve preencher um boletim de inscrição e obter seu direito de participação com um organizador.

Artigo 4: Cada participante deve estar assegurado por um seguro de responsabilidade civil, seja por intermédio de sua federação, seu organizador local, ou por um seguro pessoal (atenção, a maior parte dos seguros multirriscos não cobrem os aderentes que participem de provas organizadas e pagas). Para poder fazer a inscrição na prova deve preencher um atestado mencionando claramente a cobertura do seguro, ou um atestado fazendo fé. Se o organizador não disponibilizar a subscrição de um seguro coletivo na largada de seu brevet, ele poderá recusar a inscrição dos não segurados.

Artigo 5: Cada participante é considerado como estando em uma excursão individual, ele deve respeitar o código de transito e todas as sinalizações oficiais. O Audax Club Parisien, as sociedades organizadoras, o representante ACP e sua associação de referência, não podem, em caso algum, serem considerados responsáveis por acidentes que poderão acontecer durante um brevet.

Artigo 6: Para a circulação de noite, os veículos deverão estar munidos de faróis dianteiros e traseiro solidamente fixados e em constante estado de funcionamento ( previsão de lâmpadas de substituição; um duplo farol é aconselhável). A lâmpada traseira de pisca é proibida. Os organizadores proibirão a largada de todo o participante cujo qual a iluminação não esteja de acordo. Cada participante é obrigado a ligar a iluminação a partir do inicio da noite, e ainda, a todo momento em que a visibilidade não for suficiente(chuva, nevoeiro, …); mesmo em grupo, cada um deve ter a sua iluminação. De noite, as vestimentas claras e refletivas são recomendadas e o uso de um colete, ou tiras refletivas é obrigatório.

Toda a infração a estas medidas, constatadas durante um controle, provocará a não homologação do brevet.

Artigo 7: Cada participante deve fornecer ele mesmo todas as suas demandas para a realização de seu brevet. Nenhum serviço organizado de instrutores, apoios, sinalizadores com viatura seguindo o ciclista, é autorizado sobre o percurso entre os pontos de controle. Os participantes que infringirem este artigo serão eliminados sem apelação.
Se na largada de um brevet, um grupo é formado voluntariamente pela organização, o andamento é livre, os randonneurs tem o direito absoluto de deixar este grupo a todo o momento. Nenhum randonneur poderá prevalecer-se de gerir um grupo. Os sinais distintivos ( abraçadeiras, camisas, etc..) e os títulos (por exemplo : capitão de rota) não são autorizados. O tamanho dos grupos deverá ser conforme a legislação em vigor no âmbito de cada brevet, sem enquadramentos.
Cada participante deve ter comportamento e atitudes corretas.

Artigo 8: Cada participante recebera na largada uma carta de rota* ( leia passaporte) e um itinerário sobre o qual figuram um conjunto de nomes de lugares de controle onde o participante deverá obrigatoriamente fazer pontuar este passaporte.
Os organizadores podem igualmente prever um ou mais controles secretos, por esta razão, e por exigências do seguro, o participante deve respeitar o itinerário que lhe será entregue na largada.
Os organizadores derem obrigatoriamente utilizar os mapas criadas com a atenção do AUDAX CLUB PARISIEN ou os mapas propostos pelo representante ACP da zona geográfica e aprovadas pelo AUDAX CLUB PARISIEN.

Artigo 9: Na falta de controle preciso designado pelos organizadores, o randonneur deverá fazer fixar um carimbo que tenha o nome da localidade deste controle (comercio, estação de serviço, …). Em caso da impossibilidade de obter este carimbo (controle de noite), o randonneur poderá :

  1. enviar uma carta postal ao responsável da organização(indicando lugar, dia e hora de passagem, sobrenome, nome , clube) e escrever no espaço do controle do passaporte “CP”, o dia e a hora da postagem.
  2. Responder sobre o passaporte uma questão sobre um ponto especifico do lugar de controle. A opção definida é a descrição do organizador, controle por controle.

Em cada controle, à hora de passagem deve ser mencionada, ainda o dia para os brevets de mais de 24 horas.
Um carimbo em falta, uma hora de passagem não mencionada ou a perda da passaporte (a qualquer distancia que seja) provoca a não homologação do brevet. Cada participante é responsável por controlar o seu passaporte.

Artigo 10: os prazos para concluir cada brevet são em função da distância:

  • 13h30 (200km);
  • 20h (300km);
  • 27h (400km);
  • 40h (600km);
  • 75h (1000km)

A passagem em cada controle deverá ser efetuada entre uma hora “de abertura” e uma hora “de fechamento” mencionados no passaporte, calculadas com as medias extremas de 15 e 30 km/h para os controles até o 600km, de 13,5 à 30 km/h entre 600 e 1.000 km.
Se um randonneur chega a um ponto de controle atrasado, o organizador poderá lhe permitir de continuar se o seu atraso é devido a um eventual imprevisto e independente da vontade do randonneur, como uma parada para ajudar quando em um acidente ou uma estrada fechada. Um problema mecânico, o cansaço a falta de forma física, fome, etc não poderão ser razão válida de atraso.
Fora dos casos precedentes, o randonneur deverá respeitar as tabelas horárias intermediárias, sob pena de não homologação de seu brevet, mesmo se este é efetuado dentro do tempo limite total.

Artigo 11: Qualquer fraude provocara a exclusão do participante de todas as organizações do Audax Club Parisien.

Artigo 12: na chegada, cada participante deverá assinar o passaporte e a entregar ao organizador. Ela lhe será devolvida após a homologação. Não será emitida cópia deste documento em caso de perda.
Estes brevets não são competições e não comportam classificação.
Uma medalha especial poderá ser adquirida pelo participante assim que seu brevet tenha sido homologado. Ele deverá fazer o pedido e pagar o valor na entrega da sua carta na chegada.

Artigo 13: as medalhas que atestam o sucesso do brevet são na cor bronze (200km), amarelada (300km), vermelha (400km), dourada (600km) e cobre (1000km). Os modelos mudam, em principio, no ano após a PBP. Os preços das medalhas são indicados pelos organizadores dos brevets.
Super Randonneur : Distinção que reconhece a todo randonneur, após completar no mesmo ano, a série dos brevets 200, 300, 400 e 600 km. Uma medalha, mencionando esta distinção, será emitida ao randonneur, que realizar o pedido ao seu clube organizador dos brevets fornecendo-lhe os números dos brevets e pagando o valor desta medalha.

Artigo 14: Um participante não pode efetuar uma outra prova quilométrica sob toda ou parte do percurso de um Brevet de Randonneurs Mondiaux.

Artigo 15: Todos os detalhes referente aos BRM em uma zona geográfica, como jogos, classificações, lembranças, desafios, etc, tanto para os randonneurs considerados individualmente, ou por clubes, são exclusivamente de competência do representante ACP e de sua associação de referencia.

Artigo 16: os brevets BRM dos organizadores, (associações ou outros) só poderão constar no calendário ACP, em sua zona geográfica de origem, quaisquer que sejam os lugares de largada efetivos e as associações onde seus membros sejam filiados. Os organizadores deverão obrigatoriamente utilizar os mapas de sua zona geográfica de origem. Um organizador ( em particular um clube de fronteira) poderá aparecer uma segunda vezes no calendário ACP como « organizador aparentado » em uma outra zona geográfica alem da de origem, com o acordo do representante ACP desta zona geográfica, todos tendo como obrigação formal de aplicar a primeira linha do presente artigo.

Artigo 17: participando de um brevet BRM, os randonneurs aceitam a publicação de sua identidade e do tempo realizado nos resultados publicados pelos organizadores. Em caso algum a sua identidade poderá ser utilizada para fins comerciais ou ser utilizada por terceiros com este objetivo.

Artigo 18: O fato de haver se inscrito e largado em um brevet implica, na parte do interessado, a aceitação sem restrições do presente regulamento. Qualquer queixa, ou reclamação, por qualquer motivo que seja, deverá sem expressa por escrito e enviado, nas 48 horas seguintes a prova, ao organizador que a examinara e a transmitirá com seus avisos ao responsável ACP (França) ou ao representante ACP (fora da França) para exame antes da decisão.

Artigo 19: Em caso de apelação do interessado o processo será enviado ao Comitê Diretor do ACP com os avisos e motivos do organizador e do representante ACP. O Comitê Direto do ACP regulara, sem apelação de nenhuma espécie, os casos apresentados bem como os litígios em que este regulamento tenha sido omisso.